CONTRIBUAEnvie sugestões de temas, propostas e comentários.

Programação

19/11, às 19h – DEBATE Periferias: Cultura e educação pública

Nos últimos anos cada vez mais jovens da periferia acessaram o ensino superior, e particularmente as universidades públicas. A educação pública se mostra como mais uma fronteira atravessada pelos jovens da periferia, que levam a cultura periférica para dentro das universidades. O percurso deriva de uma trajetória histórica de mobilização e lutas nas periferias urbanas pela efetivação de direitos e enfrentamento à segregação socioespacial, entre estes o direito à educação, militante e cultura, ambos imbricados ao direito à cidade. 

Este debate tem por objetivo ampliar o debate sobre as possíveis associações e contradições entre as formas políticas da cultura e o acesso à educação pública a partir da periferia.  Esta conexão é permeada por contradições e nem sempre é equilibrada. Se por um lado estão a criação dos cursinhos populares, a difusão de conhecimento pelas redes de cultura periférica e amplificação de pesquisas sobre o espaço urbano a partir do contexto periférico, por outro há a dificuldade de permanência e preconceito enraizado em setores ainda elitistas da universidade.

Tiaraju Pablo D’Andrea – Sambista, sociólogo e Professor da Instituto das Cidades – UNIFESP, o seu doutorado teve como tema “A Formação dos Sujeitos Periféricos: Cultura e Política na Periferia de São Paulo”. Coordenador do Centro de Estudos Periféricos – CEP. Pós-doutor em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP), atuou como pesquisador convidado da Université Paris VIII, França (2017-2018), e na École des Hautes Études en Sciences Sociales – EHESS, Paris, França (2016-2017). É doutor em Sociologia da Cultura, mestre em Sociologia Urbana e graduado em Ciências Sociais pela USP.

Marcos Manuel – Historiador. Diretor de Escola de Educação Infantil na cidade de São Paulo. Foi Diretor Regional de Educação de Pirituba Jaraguá entre 2013-2016. Atua na zona sul, junto aos coletivos Infância de Santo Amaro e Ocupa a Cidade fortalecendo a intersetorialidade e a articulação territorial.

Gisele Brito – Mestranda da FAU-USP, pesquisadora do LabCidade, jornalista do coletivo Casa no Meio do Mundo e integrante da Rede Jornalistas das Periferias.

Mediação: Elizabeth Othon – mestre FAUUSP e pesquisadora NAPPLAC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *